Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Del Feliz lança dueto com Gilberto Gil
05/03/2021 14:50 em Lançamentos

O cantor e compositor Del Feliz acaba de lançar o “Dueto Feliz”, com Gilberto Gil. A música escolhida foi “Eu só quero um xodó” de Dominguinhos e Anastácia. 

O clipe marca o início do projeto “Dueto Feliz”, uma série de duos com personalidades marcantes da música brasileira e que serão publicados no canal DEL FELIZ OFICIAL, no youtube.  Além de Gil, já estão confirmados nomes como: Elba Ramalho, Roberta Miranda, Flávio José, Cláudio Lins, Dudu Nobre, Emanuelle Araújo, Tatau, Roberta Campos, Carla Visi, Tato do Falamansa, Nando Cordel, Mariana Aydar, Adelmário Coelho, Waldonys, Santanna, Targino Gondim, Léo do Estakazero, Ari do Cacau com Leite, Trio Nordestino, Chambinho do Acordeon, Lara Amélia, Alice Tirolla e Aduílio Mendes. Outros grandes artistas também irão se juntar ao time. 

Em virtude da pandemia e respeitando todas as normas de distanciamento, Gilberto Gil gravou em sua casa, no Rio de Janeiro. Já Del Feliz, viajou até Ituaçu, na Chapada Diamantina, para gravar na casa em que Gil cresceu, com equipe reduzida e seguindo todos os protocolos recomendados pela OMS. 

“Gravei esse duo com o coração batendo mais forte, a emoção escorrendo nos olhos e um filme passando pela cabeça. Sinto-me muito honrado com essa parceria, sou fã de Gil desde sempre” – explica Del Feliz.

O “Dueto Feliz”, com Del Feliz e Gilberto Gil, pode ser visto no canal DEL FELIZ OFICIAL, no youtube,  através do link https://www.youtube.com/channel/UC6edhAn5Ryj1ZBr4MOV2Xcg

 

SOBRE DEL FELIZ

Cantor e compositor, nascido em Barreiros, Riachão do Jacuípe, cordelista desde os 11 anos, premiado internacionalmente, é padrinho nacional da campanha de Registro do Forró como Patrimônio Cultural do Brasil. O artista viaja o mundo levando sua música, difundindo a cultura nordestina e já realizou parcerias das mais diversas, nos palcos e nos estúdios com nomes da música brasileira como Gilberto Gil, Maria Bethânia, Elba Ramalho, Dominguinhos, Michel Teló, Dudu Nobre, Geraldo Azevedo, Carlinhos Brown e muitos outros. 

Com 20 anos de carreira, 20 CDs e 3 DVDs lançados,  Del Feliz destaca em seu trabalho o São João da Bahia e do Brasil, além da importância do Nordeste na formação da identidade cultural do país. Seu álbum mais recente, “Pra Gente se Abraçar”, traz uma série de músicas temáticas, a exemplo de “Abra a porta” (diversidade), “Ser mais do que ter” (sensibilidade humana/empatia), “Eu sou o São João" (cultura), “Terra mãe” (ecologia),“Pra gente se abraçar” (ressalta os cuidados durante a pandemia e traz uma mensagem de esperança), “A essência dela”(uma homenagem às mulheres), “Certo ou Errado” (aborda a polarização de uma forma poética e filosófica) ,“Mais um de nós” ( que fala sobre a responsabilidade de cada um na construção de um mundo melhor) e “Uma dose de esperança” (importância da vacinação).  

Seu projeto mais recente é o “Dueto Feliz”, neste, escreve mais um capítulo importante da sua carreira e da sua história através dos duetos com personalidades marcantes da música brasileira.

 

SOBRE GILBERTO GIL

Um dos nomes mais marcantes da música brasileira, sua carreira começou no acordeon, ainda nos anos 50. Inspirado por Luiz Gonzaga, pelo som do rádio e  pelas procissões na porta de casa. 

No interior do Nordeste, a sonoridade que explorava era a do sertão. Até que surge João Gilberto, a bossa nova, e também Dorival Caymmi com suas canções praieiras e o mundo litorâneo, tão diferente do mundo do sertão. Influenciado, Gil substitui o acordeon pelo violão e, em seguida pela guitarra elétrica, que abrigam as harmonias particulares da sua obra.

Em 1963, conhece Caetano Veloso que se tornaria seu parceiro na arte e amigo na vida. Juntos, fundaram o movimento tropicalista que envolve artistas talentosos e plurais como Gal Costa, Tom Zé, Rogério Duprat, José Capinam, Torquato Neto, Rogério Duarte, Nara Leão e outros. 

O exílio em Londres contribui para a influência ainda maior dos Beatles, Jimi Hendrix e todo o mundo pop que despontava na época.  Ao retornar ao Brasil, Gil dá continuidade a uma rica produção fonográfica, que dura até os dias de hoje. São ao todo quase 60 discos e em torno de quatro milhões de cópias vendidas, tendo sido premiado com 9 Grammys.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!