Volume
Rádio Offline
Governador de Pernambuco sanciona lei que institui o Dia da Ciranda
14/05/2019 00:11 em Notícias

Em homenagem à Ciranda, uma das mais importantes manifestações culturais em Pernambuco, o governador Paulo Câmara instituiu o dia 10 de maio como o Dia Estadual da Ciranda, em homenagem ao Mestre Baracho (in memoriam), pelo dia do seu nascimento. A Lei nº 77, que institui a data comemorativa no calendário pernambucano, é de autoria do deputado estadual Waldemar Borges, e foi sancionada na última sexta-feira (10.05), em solenidade, no Palácio do Campo das Princesas.

Para o governador Paulo Câmara, o dia 10 de maio será, a partir de agora, sempre lembrado por essa expressão artística que faz parte da vida do povo pernambucano “Uma expressão que traz unidade, alegria e bem estar. Este ano, a Fenearte vai homenagear essas pessoas que tão bem fazem a cultura pernambucana. Uma homenagem mais que justa, e que veio no tempo certo. Precisamos estar atentos àquilo que é tão importante para nós, a partir da educação, da cultura e das expressões artísticas. Hoje celebramos tudo isso, mas, sobretudo, desejamos que o Brasil valorize a alma do seu povo, o senso de unidade que sempre nos uniu. Pernambuco mostra que está de mãos dadas pra enfrentar esses desafios. As ameaças combatemos com a valorização das artes e dos nossos artistas. Estaremos lá na Fenearte, no dia 3 de julho, inaugurando a feira, homenageando vocês, a ciranda e nossa cultura”, celebrou o governador de Pernambuco.

 

Mestre Santino, que falou em nome de todos os cirandeiros presentes, declarou que “me sinto muito prestigiado por estar no meio dessa multidão me apresentando e representando meus companheiros da cultura popular. Em todos os cantos que a gente vai levamos nossa alegria de vida pra trazer uma melhora para a cultura pernambucana”.

Segundo Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe: “basta ver o calendário anual de atividades. Os editais públicos dos ciclos festivos, como o Carnaval, São João e Natal, já preveem 30% de atrações populares. O Festival de Inverno de Garanhuns tem um palco da cultura popular. Quando a gente olha pro Funcultura, encontramos uma linha para as manifestações culturais. Ainda tem o Patrimônio Vivo, que todo ano contempla seis novos mestres e mestras com uma bolsa financeira. Toda essa política pública surge para a salvaguarda da cultura popular. Uma política com agenda e que preserva, sobretudo, a cultura popular. Quanto aos cirandeiros, merecem um olhar mais cuidadoso nosso, com capacitações para que possam ingressar nos nossos editais públicos”.

O deputado estadual Waldemar Borges, autor da Lei 77/2019, lembrou do simbolismo da manifestação para a cultura popular pernambucana. “Primeiro porque tudo que diz respeito à cultura pernambucana tem signos fortes. Pernambuco é o estado de maior representação cultural no País. São expressões que dão a sustentação cultural daquilo que somos. Uma nação com uma identidade cultural forte. Esse ato simples é carregado dos nossos valores de resistência. Outro simbolismo tem relação com a ciranda. Estamos preenchendo uma lacuna, porque faltava a esta manifestação uma coisa mais forte como esta data especial”.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!