Volume
Rádio Offline
Casa da Cultura Luiz Gonzaga celebra seus 43 anos
15/04/2019 16:07 em Notícias

Antiga Casa de Detenção do Recife se tornou equipamento cultural em 14 de abril de 1976 

 

Famoso polo de comercialização do artesanato pernambucano, a Casa da Cultura Luiz Gonzaga completa 43 anos de atividade como equipamento cultural. Localizado às margens do Rio Capibaribe, no bairro de São José, o prédio é um patrimônio histórico que abrigou a antiga Casa de Detenção do Recife até 1973. A partir de 1976, a construção se tornou a Casa de Cultura de Pernambuco, ligando a população a sua identidade cultural. Atualmente, possui 129 celas em funcionamento, sendo 21 delas ligadas à administração do equipamento (escritório, copa/cozinha, sala Jota Soares, Teatro Clênio Wanderley e a cela original); 90 celas voltadas para o comércio de artesanato, além de três restaurantes e duas lanchonetes; e 18 celas ocupadas por movimentos e associações culturais de Pernambuco.

“A valorização destas representações materiais retrata também a recordação de parte da nossa identidade, pois lembrar nossa cultura é também reafirmar quem somos. Nesse sentido, ao longo desses 43 anos, a Casa da Cultura Luiz Gonzaga mantém viva e preservada a história do que um dia foi a Casa de Detenção do Recife, através da sua imponente construção do século XIX”, observa a Juliana Rezende, gestora do espaço.

“Nesses 43 anos, a Casa da Cultura se consolidou não só como um polo comercial, mas também como um endereço garantido para apresentações das manifestações culturais de nosso Estado. Através de ambientes como o Teatro Clênio Wanderley e o Palco Nelson Ferreira, o equipamento faz um importante trabalho de difusão quando recebe programações especiais, que destacam grupos e artistas da nossa cultura popular”, comenta o secretário de Cultura de Pernambuco, Gilberto Freyre Neto.

O presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, destaca o interesse público pelo endereço. “A programação artística que montamos na Casa da Cultura para comemorar essa data vem reafirmar nosso compromisso com a preservação do nosso patrimônio material e imaterial”, conclui ele.

HISTÓRIA – Inaugurada no dia 25 de abril de 1855, a antiga Casa de Detenção do Recife é uma das maiores edificações do século XIX, localizada próxima a duas expressivas obras desse século: a Estação Ferroviária do Recife e a Ponte 6 de Março (mais conhecida como a Ponte Velha). O projeto original é de autoria do engenheiro e urbanista José Mamede Alves Ferreira, responsável por outras obras importantes na cidade, como o Hospital Pedro II e o Ginásio Pernambucano. A construção de Mamede segue o modelo “panopticon”, obedecendo aos padrões tradicionais de segurança das penitenciárias da época.

Após funcionar por 118 anos como presídio, em 1973, o então governador Eraldo Gueiros Leite determinou o fechamento da Casa de Detenção do Recife. No mesmo ano, um plano de restauração do edifício foi elaborado e a partir de 14 de abril de 1976 o prédio se tornou a Casa da Cultura de Pernambuco.

Essa mudança de penitenciária para centro cultural havia sido idealizada e planejada cerca de dez anos antes, pelo artista plástico Francisco Brennand, na época em que era o chefe da Casa Civil do Governo do Estado. Convidados por Brennand, a arquiteta ítalo-brasileira Lina Bo Bardi e o arquiteto Jorge Martins Júnior foram os responsáveis pela elaboração do projeto de renovação e adequação do edifício. A Casa da Cultura ainda abriga dois painéis do pintor pernambucano Cícero Dias, que representam a Revoluções Pernambucanas de 1817 e 1824.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!