Volume
Rádio Offline
Forrozeiro Adelmário Coelho lança música em protesto contra abate de jumentos
10/04/2019 12:11 em Notícias

Os recentes casos de maus-tratos a jumentos, com registros de centenas de mortes na Bahia, levaram o forrozeiro baiano Adelmário Coelho a lançar uma música de protesto. Ele é um dos que ficou chocado com a crueldade contra os animais.

O título da canção é bem direto: “Burro é quem mata jumento”. Além de protestar, o músico reverencia o animal considerado "sagrado" por muitos nordestinos e que já foi homenageado também pelo forrozeiro Luís Gonzaga em “O jumento é nosso irmão”.

O forrozeiro se refere ao flagrante de maus-tratos a jumentos em uma fazenda em Canudos, no sertão da Bahia, na quinta-feira passada. No local, autoridades ambientais e sanitárias encontraram mais 200 animais mortos e cerca de 800 desnutridos.

O forrozeiro destacou que não é um “radical” da defesa dos direitos dos animais, “mas uma coisa como essa tem de falar, pois se Luís Gonzaga estivesse vivo, seria uma voz marcante contra isso”.

A ideia da música, conta Adelmário, veio quando foram publicadas reportagens sobre os casos de maus-tratos em Itapetinga. A letra e parte da melodia foram criadas por um parceiro do forrozeiro, Júnior Vieira, que mora em Recife.

“A provocação para ele fazer foi minha, e falei com ele porque é muito comprometido com a cultura do Nordeste, e não podemos ficar sem nossos jumentos. Nordeste sem jumento é como Austrália sem canguru”, comparou o cantor, segundo qual a música terá também um clipe, já em fase de finalização.

Para Adelmário, “a sociedade tem que lutar para que a decisão judicial possa proibir para sempre os abates”. O mérito da decisão ainda será julgado na Justiça Federal da Bahia – por enquanto, a decisão que proibiu os abates foi liminar (temporária).

“Está na hora de dar um freio nos maus-tratos. Muita gente bebeu água, carregou rapadura no lombo de um jegue. Vi isso em Curaçá [Norte da Bahia], no distrito de Barro Vermelho, onde nasci. O jumento era nossa força de trabalho”, disse Aldemário. 

 

BURRO É QUEM MATA JUMENTO

Santo Deus, por quê será

Que o homem, tão sabido...

Cresce o olho da ganância,

Quer ver tudo destruído,

E em nome do dinheiro

Deixa o teu nome esquecido!?

Senhor, só vim te pedir:

Me livrai da extinção!

Sou apenas um jumento

Que sirvo a qualquer cristão,

E de cristo eu sei que sou

Animal de estimação!

 

Mesmo em meio ao progresso

Faço um trabalho bonito,

Respeito muito meu dono,

Minha arma é o cambito,

E carreguei Jesus Cristo

De Belém para o Egito!

 

Meu Jesus de Nazaré,

Não me deixes levar fim!

Por que será, meu senhor

Que quem é bom, é ruim!?

Parece até que Herodes

Tá se vingando de mim!

 

Não uso gasolina, respeito meu amo;

Trabalho com fome, mas nunca reclamo!

Dou sangue e suor, jogado ao relento...

Eu acho que burro é quem mata jumento!

 

Autor: Júnior Vieira.

 

COM INFORMAÇÕES: CORREIO 24 HORAS

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!