Volume
Rádio Offline
BELÉM DO PARÁ, Além do açaí
02/01/2019 12:30 em Coluna do Cordel

Autor: Ivaldo Batista

 

Com licença meu povo paraense

Em Belém eu acabo de atracar

Eu vim de Pernambuco para cá

Conhecer a riqueza paraense

Eu sou de Carpina sou carpinense

É a segunda vez que estou aqui

Já provei teu pato no tucupi

Rezei na tua catedral com fé. 

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Círio de Nazaré é procissão

Homenageando Nossa Senhora

Belém do Pará sempre nessa hora

Faz uma grande manifestação

Festa que unifica a região

Devoção sincera pra se sentir

Belém faz essa fé toda emergir

Até dos rios e Igarapés.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Belém é da Floresta a capital

É cidade portal da Amazônia

Majestade metrópole insônia

Sou um caboclo teu sou serviçal

Na foz dos teus rios faço um luau

Porém não vou conseguir resumir

A beleza maior que há em ti

Foi uma dádiva do Deus Javé.

Nas terras do Círio de Nazaré 

Vi Belém muito além do açaí.

 

Estou aqui pra cantar pra Belém

Essa terra dos peixes um santuário

Está fazendo seu aniversário

E o Brasil todo canta parabéns

Estou aqui pra celebrar também

Só depois da festa devo seguir

Por enquanto não vou sair daqui

Estou com meu amigo Pindaré.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

12 de janeiro sua fundação

Em Mil seiscentos e dezesseis (1616)

Belém já nascia com altivez

Data também da emancipação

Nesse dia e mês faço questão

De lembrar foi o dia em que nasci

É por isso que a data eu curti

Já me sinto qual um PAPA-CHIBÉ

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Fazendo quatrocentos e três anos (403 anos)

Neste ano Dois mil e dezenove (Ano 2019)

Nessa data o poeta resolve

Fazer um cordel cumprindo seus planos

Representando os pernambucanos

Vim lá do Nordeste pra conferir

Há trinta anos já estive aqui

Quase fico por causa de uma mulher.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Foram os portugueses que fundaram

Minha Belém capital do Pará

Junto a Baia de Guajará

Essa cidade histórica criaram

Ao nordeste da Floresta plantaram

Essa linda cidade é rubi

É um mundo belo que descobri

Quem veio aqui sabe como é.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

 

No século dezoito a região

Onde fica a cidade de Belém

Era um lugarejo onde se tem

Sobre o lugar essa informação

Os xucurus viveram nesse chão

Forte do presépio fundado ali

A cidade Belém nasceu aí

Isso sei e provo pra quem quiser.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Foi sob o comando do capitão

Francisco Caldeira Castelo Branco

O cordelista aqui é muito franco

Pra te dar toda essa informação

Foi  aí que houve a fundação

O povoado que nasceu ali

“Feliz Lusitânia” para aludir

Depois teve outros nomes até.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Em Belém toda tarde a chuva cai

Acostumou-se a população

Uma bênção pra toda plantação

Chuvas de bênçãos dadas pelo pai

Essa demonstração de amor vai

Revelando que Deus está aí

Todo povo espera chuva vir

Cada um fala dela como quer.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Trinta e nove ilhas no território

Já estive na Ilha do mosqueiro

Tomei banho andei no barco pesqueiro

Equipado com todo assessório

O item segurança é notório

Até pra pô pô pô puder seguir

Nessa viagem também quero ir

E depois seja o que Deus quiser.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Rios prestam continência ao Pará

Em Belém é uma moldura bela

Eles são parte dessa aquarela

Como é lindo nosso rio Guamá

Que beleza é o rio Acará 

Lembro também o rio Maguari

Todos são uteis conforme eu li

Confirma-me o índio Amanayé.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Muito tempo aí já é passado

E a cidade cresceu evoluiu

Tanta luta e conquista a gente viu

Acho que você deve está lembrado

Pelo menos eu tenho recordado

Da história não posso me eximir

Meu papel no cordel eu vou cumprir

Só pra lembrar esse parangolé. 

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

É descrito na história social

A guerra dos cabanos no Pará

Cabanagem é revolta popular

No então período regencial

Foi durante o Brasil colonial

Que portugueses puderam sentir

Que a província sabia resistir

Que o caboclo aqui sabe o que quer.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

 

É Belém uma das nossas bandeiras

É destaque em nossa região norte

O caboclo daqui é gente forte

As pessoas da terra são festeiras

Minha linda cidade das mangueiras

Quem te visitou jamais quer sair

Mesmo quem foi aí pra extrair

Foi molhado pelo Guamá no pé.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Belém mostrou ao mundo sua cara

Demonstrando a sua produção

Na cerâmica toda criação

Vocação do artesão escancara

É tão linda a arte marajoara

Dos ceramistas de Icoaraci

O artista consegue exprimir

A herança indígena como é.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Com um milhão e meio de habitantes

Belém é cidade monumental

O seu clima é equatorial

Um cartão postal desses elegantes

Suas águas são espelhos brilhantes

Radiante o seu cidadão sorrir

Impossível de lá querer fugir

Pra viver noutra cidade qualquer.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

A cidade Belém tem opções

Para os visitantes tem lazer

Tem o que visitar e o que comer

Desfrutar de inúmeras atrações

Nos passeios de barcos emoções

Panorama que a gente quer curtir

Experimentar também repetir

Experimentando um picolé.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

 

Nessa terra paraíso de artesão

Impossível pra mim é relatar

Os seus nomes não dar para citar

Eu não quero pecar por exclusão

Nem tão pouco aqui fazer exceção 

Correndo o risco de omitir

Grandes nomes importantes aqui

Cada artesão expressa o que é.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Belém é planta e raiz pra o chá

Sortimento grande no Ver o peso

Mesmo o consumidor mais indefeso

Com pouquinho dinheiro vai comprar

Vindo aqui somente pra visitar

O turista poderá só curtir

As belezas daqui vão te atrair

Mesmo sem Jesus Maria ou José.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Belém é capital do carimbó

Lembro o ritmo do Rei Pinduca

Dona Onete no carimbó educa

Mostra o que Belém tem de melhor

Ela é a nossa expressão maior

Por que ela além de produzir

Conseguiu sua terra traduzir

E O Brasil todo aplaude de pé.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Num passeio gostoso por Belém

Tantas lembranças boas que guardei

Tantas coisas e lugares que amei

Sei ainda que muita coisa tem

Muita recordação na mente vem

Em Belém muito já me diverti

De sua culinária já comi

Que delícia é o Tucunaré.

Nas terras do Círio de Nazaré 

Vi Belém muito além do açaí.

 

Pratos que servem Belém do Pará

São comidas tão ricas em sabor

São muito nutritivas têm valor

Eu adoro de lá o Tacacá

O turista vai lá pra degustar

E adora o pato no tucupi

Camarão e peixes se ver ali

Adoro um Gó e um tucunaré.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi mais coisas além do açaí.

 

Gastronomia tem aprovação

De todo turista que vai pra lá

Apreciam a riqueza e o paladar

Belém dar um show na degustação

Comida típica é opção

O povo adora um tipiti

E quem come gosta quer repetir

Rico ou pobre realeza ou ralé.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi mais coisas além do açaí.

 

Fui ao Espaço São José Liberto

Muita riqueza ali eu percebi

Artesanato de Paricuri

Tudo na cidade parece perto

Casa do artesanato é certo

Encontrei mais coisas lindas ali

Toda variedade que eu vi

Deixou impressionado esse Zé.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Eu vou à casa do artesanato

Espaço do artesão de Belém

Irei passear lá com o meu bem

Vou também a Anísio artesanato

Ver a cultura da terra de fato

O que cada um sabe produzir

O que cada um sabe transmitir

Representa a junção saber e fé.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

 

Na cultura Belém tá em cartaz

O cinema Olympia ainda temos

Também o Palácio Antônio Lemos

O mercado Ver o peso é demais

Ainda temos Theatro da Paz

A cultura é convite para vir

Estrada de Bragança está ali

Belém é saudação pra quem vier.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Já tremi mesmo sem comer jambu

No Estádio do Remo o BAENÃO

O REPA Nos outorgou emoção

Vi o Remo enfrentando o Paissandu

No gramado verde do CURUZU

Pelo empate dessa vez torci

Toda emoção de Belém ali

No Estádio Leônidas Sodré.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Belém tem guitarrada e Lambada

Além do Siriá e carimbó

Chamegado deu provas que é melhor

Tantos ritmos e canções gravadas

Belém nas canções foi apresentada

Toda mídia passou a transmitir

O Brasil todo passou a seguir

E Belém mostra que está de pé.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Belém deu ao mundo Ary Barroso

Beto Barbosa o Rei da Lambada

Leila Pinheiros é sempre lembrada

Alípio Martins é brega saudoso

O chamego de Onete é gostoso

A Fafá de Belém muito eu ouvi

Por aí faz sucesso a Gaby

Inclusive nas terras do Axé.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Inspiração pra o Rei do baião

Que cantou o Pará tocou Belém

Deu valor a esse torrão do bem

Exaltou o tacacá e o camarão

Tucupi e o Jambu no refrão

Passados 60 anos eu vi

Gonzaga assim pode contribuir

Pra divulgação deu seu pontapé.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Belém é nossa herança cultural

Da América é minha Paris

Nessa terra altaneira sou feliz

É nossa imponente capital

De beleza rara e sem igual

Belém capital quero te aplaudir

Teus festejos eu quero dividir

Com o mundo que aplaude de pé.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Muita coisa existe pra mostrar

No Pará Belém merece um troféu

E nem cabe aqui nesse cordel

Visto da Baia de Guajará

Vi de lá tanta coisa pra contar

Contemplei tanta beleza eu vi

Tanta coisa tem pra se exibir

Se eu contar você pode ser Tomé.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Dizem que quem vai ao Pará parou

Isso é claro pode se confirmar

Eu aqui e não penso em retornar

Belém é terra que me cativou

Entendi por que o povo te amou

Passei pela experiência aqui

Da comida famosa eu comi

Pois bateu na fraqueza eu sou guiné.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

Abençoa Senhor esse Estado

Meu Pará e a capital Belém

Olha bem pra essa terra também

E mantém esse povo abençoado

Sob a tua proteção guardado

Pra que nenhum mal possa sobrevir

Tua graça então possa cobrir

Essa gente que nutre grande fé.

Nas terras do Círio de Nazaré

Vi Belém muito além do açaí.

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!