Lumiar vence o 34º Concurso de Quadrilhas Juninas Adultas, da Prefeitura do Recife
02/07/2018 - 10h10 em Notícias

Com um enredo que celebrou as tradicionais simpatias juninas, a quadrilha Lumiar, do Pina, foi a grande vencedora do 34º Concurso de Quadrilhas Juninas Adultas, realizado pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação de Cultura Cidade do Recife. A quadrilha, que se classificou em terceiro lugar na edição passada do concurso, receberá o prêmio de R$ 13 mil, além dos R$ 3 mil garantidos pela classificação para a etapa final do concurso. Ao todo, 42 quadrilhas de todo o estado se habilitaram para a competição.

Fundada em 1994, no Pina, a Lumiar defendeu o tema “Na Festa de Santo Antônio, Solteira é que não fico”, que fala de fé e de festa, de amor e de crendices populares, tendo o santo casamenteiro como padroeiro do enredo.  “Todo ano é especial, mas não é sempre que dá tão certo. Nosso desafio sempre é sermos autênticos. E esse ano, acertamos. Com a bênção de Santo Antônio, não tinha como ser diferente”, comemorou o diretor de produção da quadrilha, Augusto César, após receber o troféu. “São 170 pessoas trabalhando para que isso possa acontecer.

A segunda colocada no concurso foi a Dona Matuta, do bairro de San Martim, que fez uma viagem à famosa Feira de Caruaru, com o tema “De Tudo que Há no Mundo”. A quadrilha, que ficou em primeiro lugar na edição anterior do concurso, receberá R$ 9 mil, além dos R$ 3 mil pela classificação para as finais.

Em terceiro lugar, classificou-se a Junina Tradição, fundada em 2004, no Morro da Conceição, que defendeu este ano o tema “São João em Saruê”, inspirado no poema A Viagem ao País de São Saruê, de Manuel Camilo dos Santos, que narra um lugar distante e de natureza exuberante, onde não existe pobreza, cenário ideal para uma animada festa de São João. O prêmio é de R$ 7 mil, além dos R$ 3 mil, pela classificação para a final.

Criada em Santo Amaro, em 2008, para assegurar alternativas de futuro para os jovens do bairro, a Junina Evolução ficou com a quarta colocação fazendo uma contundente denúncia sobre a condição do negro na sociedade. Com o tema “Bravos”, a quadrilha lembrou os 130 anos de assinatura da Lei Áurea e todos os problemas sociais atuais que ainda existem em decorrência da escravidão. A quadrilha receberá R$ 6 mil, mais os R$3 mil, por ter ficado entre as 12 finalistas.

A quinta colocada, que receberá o prêmio de R$ 5 mil, mais os R$ 3 mil pela classificação para a etapa final, foi a Origem Nordestina. Grande vencedora de 2016 e 4º lugar no concurso de 2017, a quadrilha foi buscar inspiração na mitologia dos orixás para o enredo deste ano. “Rainha, o casamento de Oxum” tratou de um romance entre uma jovem católica com um ogã, levantando no concurso a bandeira da liberdade religiosa, numa apresentação que perfumou o Palhoção e conquistou o público até pelo olfato.

“Este ano, vimos as quadrilhas tratando de liberdade, respeito, preconceito, defendendo os direitos das mulheres, dos negros. Foi extraordinário. Todos tiveram voz no Pavilhão”, avaliou a secretária de Cultura do Recife, Leda Alves, que destacou ser justamente esse o papel da arte, seja ela popular ou não: transformar a sociedade e ser, por ela, transformada.

Além dos cinco prêmios principais, foram entregues troféus nas seis categorias avaliadas pelos jurados que participaram do processo seletivo às seguintes quadrilhas: 

 

Melhor Casamento - Junina Traquejo

Melhor Marcador - Fábio Santana, da Zé Matuto

Melhor Coreografia - Origem Nordestina

Melhor Figurino - Wanderson José, da Junina Traquejo

Melhor Desenvolvimento de Tema - Cleiton Azevedo, da Junina Traquejo 

Melhor Trilha Sonora - Junina Traquejo 


Confiras as fichas técnicas das quadrilhas vencedoras:

 

1º lugar - Lumiar 

Marcador: Fábio Silva Andrade Souza

Coreografia: Almir Estevanio Vieira da Silva

Figurino: Elves Ferreria de Lima

Trilha Sonora: Léo Marques da Silva

Casamento: Cloves Bezerra da Silva Lima Junior

Desenvolvimento do Tema: Cloves Bezerra da Silva Lima Junior

 

2º lugar - Dona Matuta 

Marcador: Sérgio Trindade

Coreografia: Renne Cabral, Ivo Bismark, Marcela Barroso, Nadja Andrade, Gabryel Urlan, Gabi Cavalcanti, Ewerton Lupy, Monica Santos, Vanbaster Oliveira e Jairo Tenório

Figurino: George Araújo, Vívia Amanda, Ivo Bismark e Gabryel Urlan

Trilha Sonora: Sérgio Trindade e George Araújo

Casamento: Luana Félis, George Araújo e Eduardo Andrade

Desenvolvimento do Tema: George Araújo, Eduardo Andrade e Túlio Dourado.

 

3º lugar – Junina Tradição 

Marcador: Bhrunno Henryque

Coreografia: Perácio Gondim

Figurino: Rafael Marques e Fabiano Silva

Trilha Sonora: Joselito Costa, Raphael Costa, Ricardo Luiz, Perácio Gondim, Bhrunno Henryque, Maurício Francisco, Fabiano Silva, Márcio Conceição, Adeilda Coutinho e Gildo Alencar.

Casamento: Joselito Costa (Texto), Ricardo Vendramini e Luciano Rogério (Encenação)

Desenvolvimento do Tema: Joselito Costa, Raphael Costa, Ricardo Luiz, Peracio Gondim, Bhrunno Henryque, Maurício Francisco, Fabiano Silva, Márcio Conceição, Adeilda Coutinho e Gildo Alencar.

 

4º lugar - Evolução 

Marcador: Diego Martins

Coreografia: Werison Fidelis (Pinho), Geovane Alves, Diego Martins e Nathalya Sampaio

Figurino: Rodrigo Alves e Djalma Rabelo

Trilha Sonora: Jesus

Casamento: Pedro Rodrigues e Alcione Aquino

Desenvolvimento do Tema: Werison Fidelis (Pinho), Diego Martins e Rodrigo Alves

 

5º lugar - Origem Nordestina 

Marcadora: Drika Alves

Coreografia: Phillipe Alves

Figurino: Anderson Gomes

Trilha Sonora: Anderson Gomes

Casamento: Anderson Gomes (Roteiro), Fábio Costa e Américo Barreto (Dramaturgia e Direção)

Desenvolvimento do Tema: Andersom Gomes

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!