Aos 83 anos, Dona Glorinha do Coco se prepara para lançar o segundo disco de inéditas
05/02/2018 07:46 em Notícias

“Eu não estou velha, só um pouquinho usada”, brincou Dona Glorinha do Coco na abertura do Carnaval da Casa da Cultura na última terça-feira (30). A frase veio depois que a artista apresentou a sua nova música, intitulada “Eu tenho 83 anos”, evidenciando a sua vitalidade, enquanto cantava e dançava. A coquista planeja gravar a faixa em março para o seu segundo disco, que tem o título provisório de “Ouro e Prata” e é a prova de uma produção perene e da carreira incansável que começou aos sete anos de idade.

Filha da também coquista Dona Maria Belém, Dona Glorinha aprendeu a fazer coco com a mãe, de quem herdou todo o repertório, explorado em seu primeiro disco homônimo lançado em 2013, quando concorreu ao Prêmio da Música Brasileira. Com apoio do Governo do Estado, através de incentivo do Funcultura, o segundo disco da olindense contará com um repertório de inéditas composto pela própria Dona Glorinha. “Eu estou muito feliz, porque eu estou fazendo uma coisa que eu gosto. No coco de roda eu tenho muito prazer. Tudo o que sei, aprendi com minha mãe e agora estou repassando o conhecimento que eu tenho”, disse ela, sobre a importância dos registros.

Ao lado de Ione Silva e Cris Nolasco, Isa Melo compõe o time de cantoras que acompanha Dona Glorinha durante os shows e foi a ela que foi incumbida a missão de produzir esse segundo trabalho. “Vamos gravar todo o material no Estúdio Fábrica com o mesmo grupo que já acompanha Dona Glorinha nas apresentações”, adiantou a produtora sobre o álbum, que vem para coroar a boa fase profissional da artista. “Nos últimos anos que passaram, fui a Cuba pela primeira vez, para Portugal, Rio, São Paulo, Minas Gerais, Brasília”, lista ela, demonstrando a disposição para se manter em atividade.

Assim como “Eu tenho 83 anos”, algumas músicas novas já estão sendo adiantadas nos shows marcados para Carnaval, como o que aconteceu na Casa da Cultura. Porém, Dona Glorinha prefere destacar que a sua devoção mesmo é ao São João. “Todo ano faço uma grande festa na minha casa no dia 24 de junho e vários coquistas vão tocar lá”, comenta ela, sobre a comemoração, que já virou tradição em Olinda. Porém, enquanto a data da celebração não chega, Dona Glorinha já descarrega a energia e bom humor durante na folia.

Camila Estephania

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!