Ari de Arimatéa
Filho de pais e avós do sertão paraibano, iniciou sua carreira artística como aluno de Arlindo dos Oito Baixos no ano de 2000, depois procurando estudar teoria musical, iniciou seus estudos no Centro de Educação Musical de Olinda - CEMO, como estudante de acordeom em 2001 pelo método de Mário Mascarenhas.

Porém sua veia artística antecede o ingresso no CEMO, ao iniciar seus estudos, tinha notadamente uma percepção musical acima de sua turma.

Ainda criança, cantarolava músicas que sem saber lhe fariam um autêntico gonzaguiano.
Admirador de Luiz Gonzaga optou por manter a tradição do forró de raiz, pé de serra autêntico. Compositor, assim como o mestre, tem sua inspiração para compor nas coisas mais simples da terra, no povo do sertão, nas belezas da natureza.

Iniciou sua participação artística como sanfoneiro, instrumentista sem voz, no entanto observou que o sanfoneiro é sempre e apenas o sanfoneiro, queria mais, começou a usar também a voz e rapidamente viu que poderia conciliar a sanfona e a voz, recebendo assim diversos elogios.